• Semear Consultoria

Quais são os impactos que os produtores rurais sofrem com a geada?

Vem ano, vai ano e nos meses do inverno a ameaça de geadas tiram o sono dos agricultores brasileiros, principalmente das regiões mais frias do país, já que aqui elas são mais frequentes e mais intensas também. Apesar de ser uma preocupação recorrente a todo produtor quase anualmente, as temperaturas recordes que foram registradas em todo o Brasil nas últimas semanas tornaram ainda mais prejudiciais os danos deste fenômeno.



Nas redes sociais, tem sido comum observarmos nossos amigos e conhecidos compartilhando fotos cheios de blusas e por vezes bebendo algo quente para se aquecer, no entanto, muitos produtores usaram as plataformas digitais para expor os danos que suas lavouras sofreram. Os principais afetados pelas baixas temperaturas foram os cafezais, canaviais, algumas frutas que estavam em brotação e o milho safrinha (que já não vinha bem devido à estiagem deste ano).


Os danos ainda não podem ser mensurados com clareza em todas as culturas, porém, em levantamento de folha de São Paulo, foi divulgado que uma área de 156,3 mil Hectares de café, pertencentes a 9,5 mil produtores tenham sido atingidas pela geada (dados da Emater). E sobre o milho safrinha, a Conab, estima que haverá declínio de produtividade de 30% no mato grosso do Sul, e de 22% no estado do Paraná, devido aos fenômenos climatológicos deste ano que atrapalharam, não somente a faze de crescimento, como a fase de enchimento de grãos da segunda safra do milho.


Em relação ao café e outras culturas não anuais, os danos causados pela forte frente fria que passa pelo país, terão reflexos em 2 ou 3 safras adiante, como comenta a analista de agronegócios do sistema Faeng, Ana Carolina Alves Gomes. Apesar de tudo, todas as culturas foram prejudicadas em algum nível pelas geadas do inverno deste ano, já que o dano nas células vegetais ocorre devido ao congelamento dos líquidos no interior das células, que geram o rompimento seguido de morte da célula, e por consequência, morte do tecido vegetal. A lógica se assemelha à quando deixamos uma garrafa de cerveja/refrigerante no freezer por demasiado tempo, o efeito observado é o rompimento da garrafa (“estoura”).


Por fim, em meio à tantas novidades desanimadoras para os produtores brasileiros, algo positivo pode ser levantado para os agricultores que optaram pelo trigo durante este inverno e que tiveram o início do plantio atrasado devido à seca do começo do ano. Pois nesse caso, sofreram menos danos devido à geada dos últimos dias.


Escrito por: Victor Takaaki Passos Yamashita, diretor do comercial Semear Consultoria.

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo